A taxa de vacância de escritórios de alto padrão na cidade de São Paulo fechou o ano de 2016 em 29,1%, 1,2 ponto percentual acima do registrado no ano anterior. O aumento pode ser explicado em parte pelo grande volume de entregas de novos empreendimentos no período (169 mil metros quadrados). Os dados constam do mais recente levantamento MarketBeat de Escritórios da consultoria americana Cushman & Wakefield.

A expectativa para este ano é que o volume de espaços vagos se estabilize nos patamares atuais e comece a decrescer a partir de 2018. “A intensificação do ritmo de corte de juros pelo Banco Central, entre outras medidas econômicas, deverá reverter a situação de crise econômica e isso se refletirá direta e positivamente no mercado de escritórios corporativos”, afirma Gustavo Garcia, gerente de Pesquisa e Inteligência de Mercado para América do Sul da Cushman & Wakefield.