O mercado corporativo de alto padrão de São Paulo registrou em fevereiro absorção líquida de apenas 851 m², devido a um pequeno volume de transações. Além disso, 10 mil m² de novos estoques foram entregues na cidade, resultando em uma taxa de vacância de 24,20%, um aumento de 0,23 p.p em comparação a janeiro.

“Há um considerável volume de empreendimentos previstos para serem entregues em São Paulo e isso tende a pressionar a vacância”, afirma Gustavo Garcia, Head de Pesquisa e Inteligência de Mercado para América do Sul. O preço médio pedido para locação ficou em R$ 95,40, uma queda de 0,76% em relação ao mês anterior.

No Rio de Janeiro, o mercado de escritórios Classe AA+ fechou fevereiro com taxa de vacância de 41,38%, uma queda de 0,27 p.p em relação ao mês anterior. “Isso se deve a uma transação de locação de mais de 11 mil m² ocorrida na Orla”, explica Garcia. O preço médio pedido para aluguel ficou em R $ 111,00 por m² ao mês, um aumento mensal de 3,6%.