20161107_post_EscritoriosClasseAA_BLOGAs regiões de escritórios Classe AA+ de São Paulo que registraram as maiores absorções líquidas foram Vila Olímpia, Berrini e Chucri Zaidan. Na Vila Olímpia, o volume de novos espaços ocupados foi de 14.908 m², o que fez com que a taxa de vacância caísse sete pontos percentuais, fechando o primeiro trimestre do ano em 25,1%. Berrini e Chucri Zaidan também foram beneficiadas por entradas de inquilinos, apresentando quedas de 3,2 pp e 5.1 pp na vacância, respectivamente. Os volumes de escritórios absorvidos foram de 9 mil ² na Berrini e de 27.240 m² na Chucri Zaidan. “É importante ressaltar que ainda são aguardadas grandes absorções para o submarket da Chucri Zaidan durante este ano, o que contribuirá para a redução gradual da vacância”, afirma Gustavo Garcia, gerente de Pesquisa e Inteligência de Mercado para América do Sul da Cushman & Wakefield.

Já a região da Marginal Pinheiros foi a mais afetada por desocupações. Sua absorção negativa chegou a -27 mil m², fazendo a vacância crescer 8.7 pp, atingindo 27,9%. Em São Paulo, o percentual de espaços vagos, levando-se em conta todas as regiões pesquisadas, foi de 25,9% nos primeiros três meses de 2016.