A quantidade de novos empreendimentos logísticos entregue no primeiro trimestre no país foi de 182 mil m², patamar semelhante ao registrado no último trimestre de 2016. Esse novo estoque concentrou-se no Estado de São Paulo. “Acreditamos que o volume de entregas programado para este ano, estimado em 1,3 milhão de m², não irá se concretizar, uma vez que proprietários estão postergando novos lançamentos devido ao baixo nível de demanda que afeta o setor”, afirma Gustavo Garcia, Head de Pesquisa e Inteligência de Mercado para América do Sul.

A absorção líquida no mercado brasileiro no mesmo período analisado foi negativa em 9,8 mil m². A queda é justificada em função da desocupação de grandes espaços, que aconteceram no Rio de Janeiro (-93 mil m²) e em Pernambuco (-17 mil m²).