Mercado industrial do Estado de São Paulo registrou em novembro a maior absorção líquida de 2018

 

O mercado de condomínios logísticos do Estado de São Paulo registrou, em novembro, a maior absorção líquida do ano: 94 mil m², dos quais 73 mil m² nos empreendimentos Classes A e A+, com destaque para Guarulhos (25 mil m²). O volume de absorção líquida em novembro nas Classes A e A+ também bateu o recorde de 2018. Não houve entrega de novo estoque no período e a taxa de vacância para o segmento A e A+ continuou caindo, fechando o mês em 22,7%, uma queda de 0,9 ponto percentual em relação a outubro.

 “Apesar de uma excelente absorção líquida neste ano, que já é superior à do ano de 2016, o preço médio pedido desvalorizou 0,5% e ficou cotado em R$ 18,98 por m² ao mês”, afirma Jadson Mendes Andrade, Head de Pesquisa e Inteligência de Mercado para América do Sul.

 

Rio de Janeiro – O mercado industrial no Estado do Rio de Janeiro repetiu o comportamento tímido dos meses anteriores. Não ocorreram entregas de novos empreendimentos em novembro e a absorção líquida foi de 6,3 mil m², contra 23 mil m² no mês de outubro. A taxa de vacância caiu 0,4 ponto percentual, atingindo 32,6% para as Classes A e A+.

“O mercado fluminense não deve receber novo estoque até o final do ano, o que pode contribuir para uma pequena redução da taxa de vacância”, explica Mendes. O preço médio pedido para as Classes A e A+ registrou queda de 0,2%, fechando o mês de novembro em R$ 21,09 por m² ao mês.