O mercado de escritórios corporativos de alto padrão de São Paulo já deu sinais de recuperação em 2017. “Em 2018, as perspectivas são de que os preços dos aluguéis revertam o ciclo de queda dos últimos anos e comecem a aumentar e, a taxa de vacância, a diminuir”, afirma Gustavo Garcia, gerente Sênior de Pesquisa e Inteligência de Mercado para América do Sul da consultoria imobiliária Cushman & Wakefield.

Em relação aos dados de novembro, o mercado de escritórios Classe AA+ registrou absorção líquida negativa de 4 mil m², em contraste com o mês anterior, quando o total de espaços ocupados chegou a 23 mil m². “A queda foi ocasionada por saídas que aconteceram na região de Santo Amaro”, explica Garcia.

Não houve entrega de novos empreendimentos durante o mês de novembro. A taxa de vacância subiu 0,1 p.p, atingindo 23,6%. E o preço médio pedido para locação teve queda de 1,2%, terminando o mês em R$ 97,2 por metro quadrado ao mês.