O mercado de escritórios Classe AA+ na região CBD de São Paulo registrou, pelo terceiro mês consecutivo, absorção líquida positiva. Em março, foram 13 mil m² ocupados, totalizando 85 mil m² no primeiro trimestre. Esse resultado foi impulsionado por contratos fechados no ano passado, cujas efetivas ocupações ocorreram no início deste ano. A taxa de vacância fechou em 26,8% na capital paulista e os preços médios pedidos permaneceram estáveis, com cotação de R$ 101,2 por m² ao mês.

As novas entregas podem chegar a 164 mil m² em 2017, afirma Gustavo Garcia, Head de Pesquisa e Inteligência de Mercado. Segundo ele, “apesar dos bons resultados de absorção líquida observados no primeiro trimestre, as taxas de vacância devem ficar ligeiramente superiores até o final do ano, de acordo com as nossas projeções”.