O mercado de condomínios logísticos de Pernambuco registrou no primeiro trimestre absorção líquida de 16,4 mil m², revertendo o resultado negativo do fechamento de 2017, quando as desocupações atingiram 11,6 mil m². A taxa de vacância cedeu, passando de 13,9%, em dezembro, para 11,7% em março.

“Não houve entrega de novo estoque no primeiro trimestre. Esse cenário vem se repetindo desde o início de 2016”, afirma Gustavo Garcia, Head Pesquisa e Inteligência de Mercado para América do Sul. O preço médio pedido ficou cotado em R$ 17,9 por m² ao mês, contra R$ 17,4 em dezembro.