A absorção líquida do mercado industrial do Estado de São Paulo foi positiva em 28 mil m² no primeiro trimestre, segundo o mais recente levantamento da Cushman & Wakefield. Os mercados que apresentaram melhor performance foram Embu (48 mil m²) e Barueri (24 mil m²). Mesmo contando com absorções positivas, a taxa de vacância cresceu um ponto percentual em relação ao trimestre anterior, fechando em 24,3%, devido ao volume de novo estoque disponível (182 mil m² de novos empreendimentos). O preço pedido médio do metro quadrado ao mês ficou cotado em R$ 19,37.

“A partir do segundo semestre deste ano existe a expectativa de que maiores níveis de confiança avultem o consumo, criando um cenário mais favorável para novas oportunidades de negócios”, afirma Gustavo Garcia, Head de Pesquisa e Inteligência de Mercado para América do Sul.