Absorção líquida no mercado corporativo de alto padrão de São Paulo em 2018 é recorde dos últimos quatro anos

 

O mercado corporativo Classes A e A+ de São Paulo registrou uma absorção líquida positiva de 16,4 mil m² em novembro, contra 22,7 mil m² no mês anterior. “O volume, no acumulado do ano, de 196 mil m², é o maior dos últimos quatro anos. A redução da vacância para níveis entre 2013 e 2014, aliada à melhoria da absorção líquida dos últimos anos de crise demonstrou, em termos práticos, a retomada do mercado corporativo de alto padrão de São Paulo em 2018”, afirma Jadson Mendes Andrade, Head de Pesquisa e Inteligência de Mercado para América do Sul.

A taxa de vacância fechou o mês em 21,4%, uma queda mensal de 0,5 ponto percentual. O preço médio pedido para locação por metro quadrado ao mês caiu de R$ 89,50, em outubro, para R$ 88,00 em novembro. Não houve entrega de novo estoque no mês, mas são esperados 32,8 mil m² até o final do ano.

Mercado corporativos de SP

 

Rio de Janeiro – O mercado de escritórios de alto padrão na cidade do Rio de Janeiro encerrou novembro com uma taxa de vacância de 39,46%, o que representa uma redução mensal de 0,44 p.p. “Essa queda ocorreu porque a região do Porto registrou uma absorção líquida de 7,2 mil m², dos quais 6,4 mil m² apenas no empreendimento AQWA Corporate”, afirma Mendes.

Segundo ele, apesar de alguns sinais de recuperação, o mercado fluminense se mantém favorável aos inquilinos. O preço médio pedido para locação teve queda de 0,98%, fechando em R$ 102,97 por m² ao mês.