O mercado corporativo de alto padrão do Rio de Janeiro registrou queda na taxa de vacância de 0,7 p.p no primeiro trimestre, fechando o período em 40,8%. “Uma grande quantidade de espaço foi absorvida no Centro e na Orla. Isso, porém, foi mitigado pela saída de empresas das regiões do Porto, Centro e Cidade Nova. O resultado dessa equação foi uma absorção líquida positiva de 10,6 mil metros quadrados”, afirma Gustavo Garcia, Head de Pesquisa e Inteligência de Mercado para América do Sul.

O preço médio pedido para locação passou de R$ 107,10 por m² ao mês, no quarto trimestre do ano passado, para R$ 109,90 por m² ao mês no primeiro trimestre, um aumento de 2,6%. Segundo Garcia, os proprietários continuam adiando novas entregas, uma vez que o cenário se mantém cheio de incertezas. “No entanto, esperamos que o mercado aqueça marginalmente este ano; a taxa de vacância deve cair devido a contratos de pré-locação e ao fato de não haver entregas programadas para este ano. Já os preços pedidos devem se manter no mesmo patamar ou ligeiramente acima dos registrados no ano passado”, finaliza o Head de Pesquisa.