Edifícios Classe A e A+ em regiões de escritórios centralizadas e consolidadas na cidade de São Paulo devem voltar mais rapidamente a registrar reajustes positivos nos valores das locações em comparação às demais localidades. “Com a retomada da economia, endereços como Avenida Paulista, Itaim, Faria Lima e Vila Olímpia serão os primeiros a conseguir incrementar o valor do metro quadrado de maneira mais significativa nas renovações, revisionais ou novos contratos”, afirma Renato Almeida, gerente de Representação de Inquilinos da Cushman & Wakefield. Segundo ele, essas regiões estão estrategicamente localizadas e cada qual possui suas próprias peculiaridades que as fazem privilegiadas. “Na Paulista, por exemplo, não há mais espaço para novos empreendimentos devido à falta de terrenos, o que acaba limitando a oferta e, consequentemente, faz com que os espaços existentes sejam mais disputados pelos inquilinos”.

Já as regiões descentralizadas, com taxa de vacância alta e com previsão de entrega de novo estoque terão, de acordo com Almeida, uma menor elasticidade para a retomada dos preços. Por outro lado, ele lembra que elas podem ser uma oportunidade para os inquilinos que estão pensando no longo prazo, uma vez que tendem a sofrer um menor impacto no incremento no valor de locação nas revisionais e renovações.