Manter o equilíbrio das contas condominiais ou até diminuí-las é hoje uma medida que pode determinar o bom desempenho financeiro de um shopping center. Com taxas de vacância acima das desejáveis em grande número de operações, conservar os custos baixos e a eficiência alta é um diferencial para ter uma carteira de inquilinos estável e evitar espaços vagos nos empreendimentos.

Em face do atual cenário econômico de baixo consumo e menos crédito no mercado, os proprietários de shopping centers vêm oferecendo carências maiores e descontos nos valores de locação das lojas. Porém, os custos condominiais são gastos fixos que têm de ser rateados entre os locatários, para os quais não há praticamente margens de negociações.

“O proprietário que faz a gestão interna não pode simplesmente enxugar o quadro de funcionários ou cortar serviços, pois isso resultará em perda de qualidade”, afirma Danielle Fernandes, gerente de Desenvolvimento de Negócios da Cushman & Wakefield. Diante disso, a terceirização da gestão é uma das medidas mais eficientes para conter e equilibrar os gastos condominiais, mantendo a operação segura e eficiente. “A contratação de serviços de Facilities traz, sem exceção, um impacto positivo na conta final do condomínio”, afirma Danielle.

Segundo ela, a contratação de gestão profissionalizada resulta em melhores práticas, implementação de novas tecnologias, controle mais eficiente de despesas, além de contratação de profissionais mais qualificados. “Temos um portfólio com os melhores prestadores de serviços do mercado, além de grande poder de negociação”, finaliza a gerente de Desenvolvimento de Negócios.