Hands touching circle global network connection, Omni Channel or

Um componente importante no futuro do Gerenciamento de Facilities é a tecnologia habilitada. “Estamos caminhando cada vez mais rápido para a era dos serviços virtuais e Tecnologias Inteligente. Nesse cenário, a IoT, sigla que em inglês significa Internet of Things, traduzida literalmente para o português como Internet das Coisas, garantirá que a conectividade torne os serviços mais eficientes, sobretudo no nosso segmento de atuação”, afirma Christian Mina, diretor da área de Facilities Management da Cushman & Wakefield. O conceito da IoT prevê, entre outras coisas, a combinação de dispositivos, redes de comunicação e sistemas de integração e controle.

Hoje, a Cushman & Wakefield já faz uso da mobilidade virtual em sua área de Facilities. Todo o processo é online: desde a abertura de um chamado de serviços até a fase final, de geração de relatórios gerenciais e resultado final do trabalho. “Nosso sistema está interligado, conectado; isso, além de gerar economia, nos torna mais ágeis e eficientes”, afirma Mina.

Os softwares de gerenciamento de Facilities estão cada vez mais modernos. “No Brasil ainda estamos em um estágio menos desenvolvido em comparação a países como os Estados Unidos, por exemplo, mas a perspectiva é de que avancemos rapidamente nos próximos anos”, explica o diretor. Segundo dados do IDC – International Data Corporate, mais de 210 bilhões “de coisas” estarão conectadas à internet até 2020.