O que são as certificações sustentáveis para prédios corporativos?

As certificações sustentáveis atestam se o empreendimento segue os principais conceitos de sustentabilidade. Os edifícios corporativos que possuem certificações sustentáveis atraem investidores e ocupantes, que buscam um espaço que alie práticas sustentáveis a custos competitivos sem abrir mão do conforto e do design. Se antes eram consideradas tendências globais do mercado imobiliário, as certificações se tornaram uma necessidade para todos os empreendimentos corporativos que desejam atrair mais ocupantes. Os edifícios certificados possuem taxa de ocupação 9,5% mais rápida em relação aos sem o selo verde. Também chamados de edifícios verdes, chamam a atenção pelo uso racional da água, valorização do imóvel, modernização e menor obsolescência da edificação, melhor emprego dos materiais e recursos, eficiência energética e uso da tecnologia.

 

Principais certificações sustentáveis

LEED

Uma das certificações sustentáveis disponíveis para prédios corporativos é o LEED (Leadership Energy and Enviromental Design), concedido pelo Green Building Council Brasil.  Criado em 1993, o LEED é utilizado em 143 países e tem como objetivo incentivar a transformação de projetos, obras e edifícios com foco na sustentabilidade das operações.

São concedidos 8 tipos de certificação LEED no Brasil:

  • LEED NC – Novas construções e grandes projetos de renovação
  • LEED ND – Desenvolvimento de bairro (localidades)
  • LEED CS – Projetos da envoltória e parte central do edifício
  • LEED Retail NC e CI – Lojas de varejo
  • LEED Healthcare – Unidades de saúde
  • LEED EB_OM – Operação de manutenção de edifícios existentes
  • LEED Schools – Escolas
  • LEED CI – Projetos de interiores e edifícios comerciais

Atualmente, o Brasil ocupa a 4º posição no ranking mundial, e detém 1.302 edifícios certificados.  De acordo com estudos realizados pela Universidade de Harvard e pela Fundação Getúlio Vargas, os edifícios com certificação LEED possuem maior valor no aluguel, cerca de R$ 136,54 m² contra R$ 98,41 m² dos edifícios não certificados.

 

Certificações Sustentáveis

 

Classificação do LEED

A certificação LEED possui 7 fatores que devem ser avaliadas nas edificações. Todos os fatores possuem pré-requisitos (práticas obrigatórias) e créditos, recomendações que quando atendidas garantem pontos a edificação. O tipo da certificação é determinado de acordo com os pontos conquistados, variando de 40 pontos para o nível certificado, até 110 pontos, nível platina.

Para saber mais sobre a certificação LEED, acesse o site da Green Building Council Brasil.

 

Certificação AQUA-HQE

A certificação Aqua é uma certificação brasileira de construção sustentável adaptada da metodologia francesa Démarche HQE (Haute Qualité Environmentale) e aplicada no Brasil desde 2008 pela Fundação Vanzolini.

 

Como funciona a certificação AQUA-HQE

Diferente da metodologia aplicada na certificação LEED, o Aqua avalia o edifício como um todo, e não por meio de pontuações. A certificação é feita com base em auditorias presenciais independentes e para obtê-la o empreendedor da construção deve estabelecer o controle total do projeto em todas as suas fases:

  • Programa
  • Concepção (Projeto)
  • Realização (Obra)
  • Operação (Uso)

A avaliação do edifício é feita em 14 categorias de preocupação ambiental e as classifica nos níveis BASE, BOAS PRATICAS ou MELHORES PRATICAS, conforme perfil definido na fase que antecede o projeto.

Para receber o certificado AQUA-HQE, o edifício corporativo deve apresentar, no mínimo, 3 categorias no nível MELHORES PRATICAS, 4 categorias no nível BOAS PRATICAS e 7 categorias no nível BASE.  

 

PROCEL Edifica e PROCEL Edificações

Criado em 2003 pela Eletrobras/Procel, o Programa Nacional de Eficiência Energética em Edificações – Procel Edifica incentiva o uso eficiente dos recursos naturais (água, luz, ventilação etc.) nas edificações, minimizando os desperdícios e os impactos sobre o meio ambiente. É considerada uma identificação do que um certificado, visto que ele apenas classifica o desempenho dos edifícios.

Já o Procel Edificações, que faz parte do Procel Edifica, identifica as edificações com as melhores classificações de eficiência energética, em cada categoria. Para conseguir o Selo Procel Edificações, é importante que o edifício seja desenvolvido, desde o início do projeto, de forma eficiente. Um edifício que possui um projeto eficiente tem potencial de economizar 50% de energia elétrica. Para os edifícios “retrofitados”, o ganho em termos de economia de energia pode atingir até 30%. É importante destacar que mesmo os edíficios certificados, se não receberem a manutenção certa, não atingiram a eficiência energética esperada.

A metodologia de avaliação varia de acordo com o tipo de edifício (comercial, varejo, residencial, etc).  Os edifícios comerciais, de serviços e públicos são avaliados sob três sistemas: envoltória, iluminação e condicionamento de ar. Já nos edifícios residenciais são avaliados: a envoltória e o sistema de aquecimento de água.

A Etiqueta Nacional de Conservação de Energia, que vai de E (pouco eficiente) até A (muito eficiente) é concedida em duas etapas: na etapa de projeto e na entrega do empreendimento.